Qual a política de garantia da CONSUMINDU?

Os equipamentos comercializados pela CONSUMINDU têm uma garantia de 2 anos contra qualquer defeito de fabrico. Em caso de reclamação o nosso departamento técnico irá efetuar uma análise pormenorizada ao equipamento e, somente quando não nos é possível concluir o defeito, o mesmo é devolvido à fábrica para análise.

O que é um EPI?

Segundo a Diretiva 89/656/CEE, Equipamento de Proteção Individual (EPI) é “qualquer equipamento destinado a ser usado ou detido pelo trabalhador para sua proteção contra um ou mais riscos suscetíveis de ameaçar a sua segurança ou saúde no trabalho, bem como qualquer complemento ou acessório destinado a esse objetivo”.

Qual o processo de inspeção de um EPI?

Além da inspeção regular que deve ser efetuada pelo utilizador antes de cada utilização, deve ser efetuada uma inspeção periódica completa, apenas por uma pessoa competente.

A frequência desta inspeção completa varia consoante as recomendações de cada fabricante, a legislação aplicável, o tipo e a intensidade de cada utilização.

A CONSUMINDU recomenda que todos os EPI’s sejam inspecionados a cada 12 meses. Para ajudar a manter a rastreabilidade do produto, não remova qualquer etiqueta do mesmo.

Qual o tempo de vida útil do meu equipamento?

Para equipamentos com componentes plásticos ou têxteis, a validade é de 10 anos a partir da data de fabrico.

É, por vezes, difícil determinar há quanto o equipamento está a deteriorar-se (especialmente equipamento feito de fibras sintéticas ou artificiais). Portanto, é aconselhável definir um período após o qual o equipamento não deve mais ser usado. Este período é conhecido como o tempo de vida útil. As informações fornecidas pelo fabricante do equipamento devem ser consideradas quando se pretende determinar o tempo de vida útil. É também importante que seja mantido um registo sobre a utilização do equipamento, que deve, idealmente, referir as condições em que foi usado, uma vez que este tipo de informação pode ser útil na avaliação do tempo de vida útil definido para o equipamento.

Quando devo retirar o meu equipamento de uso?

O equipamento deve ser removido de uso ou sujeito a reparação quando:

– Foi fabricado há mais de 10 anos e tiver componentes feitos de plástico ou tecido;

– Foi submetido a uma queda ou a uma carga superior á recomendada;

– Não obteve aprovação na inspeção periódica;

– A sua rastreabilidade não está documentada;

– Não está documentado o seu historial, se foi encontrado ou recondicionado.

– Se torna obsoleto ou inadequado devido a alterações na legislação, normas técnicas ou incompatibilidade com outros equipamentos.

Nota: É importante que haja um processo formal de quarentena que garanta que o equipamento defeituoso ou suspeito que tenha sido descartado, não possa voltar ao serviço sem a inspeção e aprovação de uma pessoa competente. Equipamento que seja considerado defeituoso, ou se a sua manutenção for comprometida ou em até em caso de dúvida, deve ser retirado de serviço e encaminhado para inspeção ou reparação. Estes equipamentos devem ser marcados como não aptos para o serviço e, se não forem reparados, devem ser destruídos. O registo deste procedimento deve ser atualizado imediatamente.

Sofri uma queda com o meu arnês. O que devo fazer?

O equipamento que sofreu uma queda deve ser imediatamente retirado de uso.

Como devo limpar os meus equipamentos?

Limpe os componentes sintéticos e os têxteis com água limpa e sabão de forma a remover a sujidade. Enxague com água limpa. Seque os equipamentos à temperatura ambiente e em locais com pouca humidade. Não use solventes, porque estes podem degradar o material sintético.

Posso inspecionar o meu equipamento?

Todo o equipamento dever ser sujeito a uma inspeção por parte do utilizador antes de cada utilização. No entanto, a inspeção periódica só pode ser realizada por uma pessoa devidamente habilitada para o efeito (pessoa competente).

Quem é pessoa competente para o exame periódico ao equipamento?

Segundo a Norma Europeia EN 365:2004, pessoa competente é “pessoa que possua conhecimentos técnicos acerca das especificações necessárias para efetuar corretamente uma inspeção periódica completa, das instruções e recomendações de cada fabricante que sejam aplicáveis a cada componente, subsistema ou sistema do equipamento.”

Segundo o Decreto-Lei nº 50/2005 de 25 de Fevereiro, pessoa competente é “a pessoa que tenha ou, no caso de ser pessoa coletiva, para a qual trabalhe pessoa com conhecimentos teóricos e práticos e experiência no tipo de equipamento a verificar, adequados à deteção de defeitos ou deficiências e à avaliação da sua importância em relação à segurança na utilização do referido equipamento.”.

Esta pessoa deve ser capaz de identificar e avaliar a relevância de defeitos presentes no equipamento e determinar os efeitos dos mesmos na segurança global do equipamento.

Como manter o meu equipamento em perfeitas condições?

Siga as instruções de manutenção e quaisquer outras recomendações presentes na ficha técnica de cada equipamento.

Como devo armazenar o meu equipamento?

Depois de qualquer limpeza e secagem, o equipamento deve ser armazenado num local seco e fresco, escuro, e em ambiente quimicamente neutro, longe do calor ou fontes de calor excessivo, humidade elevada, bordas afiadas, elementos corrosivos, seguro contra roedores, formigas (que emitem ácido fórmico) ou outras possíveis causas de danos. O equipamento não deve ser armazenado húmido devido à possibilidade de ataque de fungos ou corrosão.

O que posso encontrar na etiqueta do meu EPI?

– Data de fabrico;

– Normas aplicáveis;

– Referência do fabricante;

– Gama ou classe do equipamento;

– Número de série.

Cada equipamento possui um número de série único através do qual pode ser identificado.

Quando devo usar o meu equipamento de proteção contra queda?

Quando trabalhar a uma altura superior a 1,80 metros.

As nossas perguntas frequentes não o conseguiram ajudar?

Coloque-nos a sua pergunta.
Question